Rede de concessionárias Ford deve cair pela metade no Brasil

Sem produtos de volume, marca vai mudar sua estratégia de pontos de venda
Concessionárias deverão seguir uma série de protocolos na reabertura gradual em São Paulo

Concessionárias deverão seguir uma série de protocolos na reabertura gradual em São Paulo | Imagem: Divulgação

Mesmo com a impactante decisão de encerrar toda a sua produção local, a Ford comprometeu-se com o fornecimento de peças, manutenção e cobertura integral do prazo de garantia dos modelos comercializados no país. A grande questão é que muitos consumidores ora atendidos por concessionárias perto de seu local de residência ou trabalho, talvez terão de procurar outros pontos de venda ou se deslocar mais para conseguir algum tipo de atendimento da marca.

Segundo o jornal O Estado de São Paulo, a Ford deverá manter aqui no Brasil uma rede de concessionárias com cerca de 120 pontos de venda espalhados no território nacional, uma profunda redução sobre as 283 lojas que atualmente integram a rede.

A mudança no perfil de produtos que a Ford vai oferecer no Brasil a partir de agora explica a decisão. Ao tornar-se uma importadora e sem automóveis de alto volume de vendas, como era o caso das linhas Ka e EcoSport, não se justifica uma rede de concessionárias com uma elevada capilaridade pelo território nacional. O objetivo da marca passa a centrar suas atividades de venda em localidades com público de maior poder aquisitivo e que deverá ter mais interesse nos produtos importados que a Ford vai trazer ao Brasil a partir de agora.

Assim que os estoques do Ka, Ka Sedan e EcoSport chegarem ao fim, o modelo mais acessível da marca norte-americana no Brasil será a picape média Ranger, que hoje parte de R$ 163.490 em seu catálogo XL Cabine Simples com motorização 2.2 turbodiesel e câmbio manual.

A Ford seguirá investindo em veículos comerciais com a importação da nova geração da van Transit produzida no Uruguai. É muito provável que futura picape compacta-média Maverick, modelo de porte semelhante ao da Fiat Toro, também desembarque no país importada do México em 2022. Ainda para este ano, a Ford deverá lançar por aqui a família Bronco, linha de SUVs de médio porte com ampla vocação para o off-road e preços também na faixa dos seis dígitos.

De acordo com apuração do jornal, a Ford não terá uma tarefa fácil para conseguir preservar seus pouco mais de 100 pontos de vendas no país, uma vez que boa parte das concessionárias que hoje comercializam carros da marca podem migrar para outros fabricantes. Considerando que a Ford não hesitou em tomar a decisão de encerrar sua produção local, provavelmente muitos empresários do setor de distribuição devem estar ponderando se vale a pena seguir representando a fabricante no país. Com a sondagem de diversas marcas, provavelmente muitas concessionárias atualmente representando a Ford podem mudar de bandeira.

Ford Ranger 2020
Assim que os estoques de Ka e EcoSport chegarem ao fim, Ranger será o modelo de entrada da Ford no Brasil
Imagem: Divulgação