O novo CEO da Renault para a Índia, Venkatram Mamillapalle, fez declarações bem relevantes não só para o mercado local, mas que também sugere novidades interessantes para os demais países emergentes ao redor do mundo como é o caso do Brasil. Segundo reporta a Autocar India, o executivo traça planos para aumentar a cobertura de atuação da marca Renault naquele mercado e vai desenvolver uma ofensiva de novos produtos em diversos segmentos.

A primeira parte da nova estratégia já foi antecipada com o Triber, uma espécie de monovolume derivado do mesmo projeto do Kwid que visa atender quem precisa de mais espaço interno (ele vai oferecer 7 lugares) bem como um porta-malas generoso para um volume maior de bagagens. A meta da Renault indiana será comercializar cerca de 60.000 unidades do Triber em 2020, um volume bem respeitável. Por lá, o Triber será lançado com o motor 1.0 (BR10), mas ele deverá ganhar uma opção turbo baseada no mesmo propulsor BR10, além da opção de câmbio automatizado ou automático, o que deverá dar um impulso adicional nas vendas.

O Triber poderia até ser uma pedida interessante aqui no Brasil, uma vez que, com o fim das minivans (somente a Chevrolet Spin resistiu por aqui) praticamente não restou nenhuma alternativa de carro familiar (ou 7 lugares) de baixo custo, em especial para quem não é fã de sedans compactos, mas precisa de um carro maior. Como o Kwid já é produzido aqui, não seria tão complicado assim a Renault nacionalizar também o Triber. Só o tempo nos dirá, contudo, se esse plano de fato figura nas intenções da marca por aqui.

Ainda segundo Mamillapalle, a Renault indiana também trabalha em um inédito SUV/crossover que poderá se juntar ao Captur e ao Duster pelo menos na gama Renault para a Índia. Esse futuro modelo está sendo tratado pelo código HBC e deverá ser lançado por lá em 2021. Tudo leva a crer que esse novo modelo poderá ter uma proposta semelhante ao do recém-apresentado Hyundai Venue, um SUV subcompacto posicionado abaixo do Creta, tipo de produto que ganha cada vez mais atenção das marcas globais. A Volkswagen vai entrar nesse segmento aqui no Brasil, assim como a Jeep também trabalha em um SUV menor que o Renegade, portanto é bom ficarmos atentos.

Por fim, ainda faz parte da ofensiva de novidades da Renault para a Índia um novo sedan compacto, conhecido internamente pelo código de projeto LBA. A novidade utilizará a mesma plataforma do Kwid (CMF-A) e deverá ser movida pelo mesmo motor 1.0 turbo presente no Triber. Esse propulsor também vai figurar no futuro SUV subcompacto derivado do projeto HBC. 

Vale a pena ficarmos de olho nesse sedan compacto uma vez que, se a Renault optar por nacionalizar a nova geração do Clio na América do Sul tomando como base a plataforma mais simples do Sandero, esse futuro sedan compacto indiano poderia ser um substituto natural para o Logan dentro de alguns anos. Com isso, a Renault preservaria a oferta de um sedan de baixo custo aqui no Brasil, o que é o principal apelo do Logan hoje em dia no mercado.

Pode ser que esse futuros produtos da Renault na Índia sejam apenas específicos para o país em questão, mas, sabendo que hoje em dia os novos projetos automotivos ganham um caráter cada vez mais global e sabendo das similaridades entre os mercados indiano e brasileiro, é muito provável que grande parte do que está sendo desenvolvido para lá também acabe influenciando a subsidiária brasileira da Renault (assim como ocorreu com o Kwid), por isso é muito importante acompanharmos de perto a movimentação da fabricante.

 

César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo | http://www.jcceditorial.com.br/