Opinião: Renault Duster pode mexer bem com os SUVs compactos em 2020

Se confirmados os rumores, SUV compacto deverá ficar bem mais competitivo dentro da categoria
Renault Duster 2018

Renault Duster 2018 | Imagem: Divulgação

Na medida em que os meses vão avançando (e mais unidades são flagradas rodando no Brasil...) vamos descobrindo novos detalhes sobre o que a Renault prepara para o profundo facelift que o Duster receberá por aqui.

A bem da verdade, muito já pode ser visto ao olharmos para o Duster vendido na Europa. Se a Renault optou por dar uma cara própria para a atualização do Sandero e do Logan no Brasil, algumas unidades que rodam nas cercanias da Renault em sua fábrica de São José dos Pinhais (PR) sinalizam que o novo Duster 2021 produzido aqui deverá compartilhar grande parte das novidades externas e internas com o irmão comercializado no Velho Continente.

Basicamente o destaque visual fica por conta de uma dianteira toda nova, com grade, para-choque e faróis revistos, enquanto a traseira trará lanternas muito parecidas com as do Jeep Renegade (o que pode gerar uma certa controvérsia por aqui), além de uma nova tampa para o porta-malas e o para-choque também acompanhando a evolução no design da parte posterior do SUV.

Uma melhora muito esperada para o Duster 2021 será o aprimoramento mais do que necessário para sua cabine. Se hoje o visual e a ergonomia deixam muito a desejar, ao menos na Europa o novo Duster passa a contar com linhas bem mais elegantes e atuais. Isso pode ser visto no painel totalmente atualizado, bem como no novo volante que também chegou ao Sandero e Logan 2020 no Brasil. A lista de equipamentos do novo Duster ficou consideravelmente melhor, com direito a recursos como o monitor de pontos cegos nos retrovisores, farol alto com comutação automática, chave presencial, partida remota, entre outros. 

Assim como notamos na dupla Logan e Sandero 2020, a Renault não vai promover nenhuma mudança na estrutura do novo Duster, até porque isso é muito caro e certamente iria onerar demais o preço de sua gama de baixo custo, mas, convenhamos, em termos de espaço interno e porta-malas o Duster já é um modelo muito bem resolvido. Aliás, esses dois atributos, combinados com a maior altura em relação ao solo e o visual robusto característico do Duster, sempre figuraram como pontos altos do SUV por parte de seus compradores. Na Europa, o novo Duster com tração apenas nas rodas dianteiras oferece porta-malas para 478 litros de bagagem, o que o posicionaria como um dos maiores do segmento. O novo Duster passa a contar com opção de 6 airbags e a Renault deverá promover reforços estruturais da arquitetura do modelo por aqui. 

Mas vale a pena ficar de olho no Duster 2021 por uma questão muito especial: deverá caber a ele, no segundo semestre de 2020, estrear na gama Renault o motor 1.3 TCe fabricado no Paraná. Esse propulsor nada mais é do que o mesmo motor presente na gama de compactos da Mercedes-Benz, como é o caso do Classe A Sedan recentemente lançado no Brasil.

Desenvolvido em parceria entre a Aliança Renault-Nissan e a Daimler, o propulsor 1.3 TCe conta com turbo, injeção direta e até mesmo sistema de desativação de cilindros, que permite com que ele opere de forma bicilídrica em situações em que o motor é pouco solicitado. Com isso, estamos falando de um propulsor extremamente eficiente e que não deverá ficar devendo em desempenho.

Ainda é cedo para falarmos de dados técnicos, mas em suas diferentes opções de calibração apresentadas na Europa, o 1.3 TCe pode entregar cerca de 170 cv de potência máxima e torque na casa de 25 kgfm, números muito bons. Nacionalizado, é certo que o 1.3 TCe deverá torna-se flex.  

Outro atributo que deverá tornar o Duster 1.3 turbo um modelo diferenciado na categoria é o fato de que ele deverá contar com uma transmissão de dupla embreagem de 7 marchas atuando em conjunto com o propulsor. Caso isso se confirme, teremos basicamente o mesmo tipo de motor e câmbio encontrados no Mercedes-Benz Classe A atuando sob a carroceria do Duster, o que certamente fará dele um dos SUVs compactos com um dos melhores conjuntos mecânicos da categoria.

Como a gama Sandero, Logan e Duster se guia pelo bom custo-benefício, por mais que a Renault melhore o nível de equipamentos do Duster 2021 e levando em consideração as evoluções mecânicas, seu preço tende a permanecer mais competitivo frente os concorrentes, o que certamente fará dele uma opção muito interessante no segmento. É bom lembrar que a Renault deverá apostar também na nova geração do Captur por aqui, modelo, esse sim, que deverá atuar em faixas de preço mais elevadas no segmento.

Por isso, se você deseja comprar ou trocar seu SUV compacto, é bom ter um pouco de paciência e aguardar pela estreia do facelift do Duster por aqui. Se ele de fato receber o conjunto mecânico desenvolvido pela Renault em parceria com os alemães da Daimler, o Duster dará um salto gigantesco em termos de projeto dentro da categoria e poderá mexer bem com o segmento de SUVs compactos até o fim de 2020.

 

 

Renault Duster 2018
Acima o novo Renault Duster que circula na Europa
Imagem: Divulgação

 

 

 

Assine a newsletter semanal do AUTOO!